GREVE A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA, DIA 07/05


Metroviários em GREVE por tempo indeterminado,

a partir de segunda-feira, dia 07/05

 

A greve dos metroviários iniciada dia 19/04 (quinta-feira) foi suspensa pela categoria no mesmo dia, mediante acordo do GDF em abrir novo prazo de negociação de duas semanas; continuação das mesmas condições de jornada de trabalho anteriormente ajustadas entre Metrô/DF, Sindmetrô/DF e Ministério Público do Trabalho; e autorização da empresa para ajuizar dissídio de greve, caso restem frustradas as negociações.

Ocorre que, o GDF não cumpriu o que acordou com a categoria. Nas duas semanas concedidas de prazo não houve negociações. Na 1ª reunião de negociação com o Sindicato, descobrimos que o encontro sequer tinha sido marcado na agenda do Secretário de Administração, Sr. Wilmar Lacerda. Com total descaso, a Secretaria de Administração não se deu ao trabalho sequer de desmarcar com a categoria e simplesmente não compareceram na reunião previamente marcada. A jornada de trabalho dos pilotos também não foi retomada nas mesmas condições previstas pelo estudo que balizou sua realização, intensificando ainda mais as doenças relacionadas ao trabalho que foram motivadas por ingerência da Companhia na criação de mais um posto.

No dia 27/04 houve reunião com o GDF, porém não houve propostas de negociação. Houve tão somente nova promessa do governo e pedido de mais prazo, de 30 dias, para se negociar. Perguntamos-nos, se o acordo que suspendeu a greve não havia sido cumprido, que motivos a categoria teria para conceder mais 30 dias para esse governo que não tem palavra?! Para não entrar em greve o Sindicato apresentou contraproposta de manter apenas as cláusulas que não necessitariam de alteração e propôs em negociar somente as melhorias das condições de trabalho. A contraproposta do Sindicato foi rejeitada pelo GDF, que insiste em reduzir direitos da categoria.

As atuais propostas ofertadas pelo Metrô/DF e GDF se pautam em retrocesso de direitos, batizada pela categoria de proposta Michael Jackson, o que aparentemente é um avanço só anda pra trás. Ex: Auxílio creche e educação, que atualmente é paga a cobertura de 0 a 7 anos no valor de R$ 276,00 e cobertura de 7 à 14 anos no valor de R$ 200,00. A proposta da empresa é de aumentar o valor para R$ 368,00 no período de 0 a 7 anos e suprimir a cobertura de 7 até os 14 anos. Ou seja, somando os dois períodos de cobertura, atualmente o benefício chega a R$ 476,00 e a proposta da empresa é de retroceder a um valor de R$ 368,00 além de suprimir cobertura do auxílio educação.

Outra proposta no estilo Michael Jackson, é a de não conceder à categoria o reajuste de reposição da inflação (INPC), calculado aproximadamente 7%, e de conceder apenas o benefício de anuênio, que prevê reajustes de 1% a cada ano trabalhado na Companhia. Ora, se a maioria dos empregados têm menos de 5 anos trabalhados, o valor do benefício despendido com o pagamento do anuênio na sua maioria será de até 5% e não cobre sequer a reposição de perdas pela inflação, estimada em 7%.

Considerando que a data-base da categoria dos metroviários é dia 1º de abril e o processo negocial foi iniciado anteriormente a essa data, a categoria já conta com mais de 120 dias em que pleiteia o fechamento do acordo coletivo de trabalho 2012 e nenhuma proposta de melhorias foi apresentada pelo Metrô/DF tampouco pelo GDF. A vigência do Acordo Coletivo de Trabalho 2011 já se expirou e atualmente a categoria está sem direitos assegurados. Se o Metrô/DF e GDF não negocia, não cumpre o que promete, e só pretende entrar em acordo para reduzir direitos não nos resta alternativa senão a de decretar GREVE POR TEMPO INDETERMINADO até o fechamento efetivo do acordo coletivo de trabalho 2012.

Metroviários em GREVE POR TEMPO INDETERMINADO!

Por realização de concurso público, melhorias do serviço para a população, cumprimento do acordo coletivo e melhores condições de vida e trabalho.

 

SINDMETRÔ/DF




10 thoughts on “GREVE A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA, DIA 07/05

  1. Luciano Costa

    É isso aí colegas metroviários, essa greve é mais um motivo para justificar que não somos sabotadores e exigimos do Governo uma explicação. Fomos criminalizados perante a opinião pública, portanto não podemos deixar barato.

    "É proibido proibir".

    Reply
  2. Ester

    Gente vai trabalhar…seus folgados…com tanta gente que não recebe oq ue vocês recebem e não ficam de graça, não quer trabalhar tem quem quer, manda todo mundo embora, vamos ver se não resolve essa palhaçada. Faz concurso para trabalhar com isso porque quer, ninguém é obrigado, então já sabe as condições de trabalho, se faz concurso é porque esta de acordo, agora acorda pra vida vai seus folgados.

    Reply
    1. Jorge

      Fizemos concurso para trabalhar e garantir nossos direitos pela força de trabalho que vendemos.
      O nosso acordo coletivo de trabalho está com a validade expirada e atualmente estamos sem direitos assegurados porque não querem renová-lo, querem suprimi-lo e reduzir direitos já assegurados.
      As condições de trabalho estão sendo cada vez mais sucateadas e não estamos de acordo com o roubo do governo que não quer nos conceder nem a reposição da inflação e também nos retirar direitos.
      Estamos bem acordados para a vida, inclusive prestando serviços 24 horas por dia, aos sábados, domingos, feriados, dia das mães, natal, ano novo em condições insalubres, periculosas e sendo a única categoria do GDF que não recebe nenhuma gratificação por isso!
      Estamos bem acordados lutando por nossos direitos e por um serviço de qualidade para a população!
      Esperamos que a população acorde e coloque suas sugestões de melhorias em pauta, para que não seja necessário que os metroviários fassam greve para que o serviço melhore sua qualidade.
      Não ao sucateamento do metrô! queremos mais trens, tarifa reduzida e fim do sufoco!
      Metroviários e população juntos! por um Metrô digno e de qualidade!

      Reply
  3. Jorge

    Sobra para todos. A greve é um mecanismo usado em última instância, pois é uma relação de perde- perde. Em greve todos perdem: a população perde os serviços, os trabalhadores perdem o pagamento dos dias e o governo perde intenções de voto e popularidade.
    Mas em tempos de caos como no atual momento desse governo, a greve trás em si possibilidades de mudanças pra melhor, é assim que devemos conduzir esse processo, por meio de uma parceria e relação ganha-ganha.
    A greve dos metroviários tem pauta de reivindicação para a população como: Mais trens (visto que só roda com no máximo 24 ao invés de 32 trens e desperdiça 160 milhões de reais relativos à 8 trens), redução da tarifa ( a mais cara do mundo), integração entre os modais ( para que o usuário pague somente uma passagem e possa utilizar metrô e ônibus. Tudo isso significa melhorias importantíssimas!
    Concordo que greve causa transtorno, porém descordo do pensamento exposto acima. A população tem tudo a ver com isso e além do mais deve ser o principal protagonista, devendo participar, cobrar e apoiar movimentos que lutam por melhorias nos serviços públicos.
    Parabéns aos movimentos Passe-Livre, Movimento Pró Metrô e Brasília Verde, que participam das reivindicações em pró da população e trabalhadores, uma atitude muito mais inteligênte do que ficar em casa, sentado, com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar e as melhorias cairem do céu.

    Reply
  4. Jorge

    O Metrô concedeu 25% de aumento para os contratos de serviços terceirizados de forma ilegal, sendo que não houve aumento de empregados e não houve extenção do horário de funcionamento dos serviços. O reajuste de 25% tampouco foi destinado aos empregados terceirizados, que vivem em péssimas condições! Serviu somente para encher os bolsos de poderosos!
    O que está postulado no pedido é isonomia, se o Metrô concede 25% de aumento em contratos ilegais, porque se recusa em conceder até a reposição da inflação aos trabalhadores???
    Por que o metrô/DF insiste a castigar os trabalhadores se tem um lucro enorme gerado pelos mesmos?
    Por que insiste em castigar a população e deixá-la sem transporte? Para encher o bolso de empresários e politiqueiros?!
    Quem julga a abusividade ou não da greve é o TRT, que estipula qual o tipo de percentual de funcionamento e modo como a greve será conduzida. Não cabe aos metroviários deliberarem sobre a abertura de catracas, mas sugiro que leve essa sugestão para os desembargadores do TRT, quem sabe eles acatam sua sugestão… Seria mesmo uma ótima oportunidade de parceria entre metroviários e população! porém essa decisão infelizmente não cabe aos trabalhadores.
    A população tem TUDO A VER com isso e inclusive existem movimentos sociais apoiando e levando pauta de reivindicações para serem negociadas. Não perca a oportunidade e leve suas reivindicações para serem negociadas. O Metrô é de todos e a população precisa ser mais participativa.

    Reply
  5. Jorge

    Infelizmente a falta de instrução e educação acaba gerando esse tipo de pensamento, ou melhor, esse tipo de alienação. Cuidado, pois quem não tem educação para desenvolver o senso crético acaba assistindo muita televisão, dessa forma, distorcendo os fatos e conduzidos a adorar os opressores e odiar os reprimidos.
    Por que não pede o fim desse tipo de governo capitalista que escravisam os trabalhadores?
    Não precisa pedir o retorno da ditadura, no chão de fábrica ela continua sempre presente, na mídia então nem se fala…
    Os sangue-sugas não são trabalhadores, estão nos centros de poder, sugando nossa força de trabalho para gerar riqueza e nos explorando com a mais valia.
    Desliga essa televisão, vai ler um livro e aprende que país se escreve com "s" não com "z".

    Reply
    1. robert

      digo o mesmo a voce :
      Desliga essa televisão, vai ler um livro e aprende que FAÇAM se escreve com "Ç" não com "SS".
      seu intelectualzinho de merda.

      Reply
  6. Movimento Pró-Metrô

    Não queremos ganhar simpatia da população, queremos consciência e participação nas reivindicações de melhorias nos transportes do DF.

    Reply
  7. robert

    o Brasil se tornou um país de baderneiros, invasores , sangue-sugas , ladrões dos cofres públicos, gentalha que usa os sindicatos como tramplolim para carreira política, funcionários, que fingem que trabalham, GREVES e GREVES sem fundamentos , abusivas, apenas com o intuito de receber sem trabalhar, prejudicar a população que paga seus salários. POR ISSO é que cantaremos em alto e bom som na porta dos sindicatos : " Chega de baderna,vamos impor respeito. Ditadura já!"

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>